sábado, 26 de maio de 2018

Jubilo e Aflições

A  vida que segue pela luz da fé cristã transmite a  imagem perfeita de um paradoxo, quanto a peregrinação por esse mundo, por um lado o verdadeiro cristão experimenta o maior jubilo e a mais perfeita felicidade, e compreende perfeitamente o sentido da vida, por outro lado sofre a perseguição, enfrenta confrontos, passa por dificuldades, passa por aflições, mas em nenhuma hipótese, os problemas dessem mundo, podem arrancar a perene alegria que  flui do coração piedoso que descansa na misericórdia de Deus (Clavio J. Jacinto)

A VERDADEIRA ESPIRITUALIDADE

Um homem espiritual vai ter só uma marca que o distinguirá entre os demais dentro da cristandade, ele não será um homem de comportamento bizarros, não será um homem flutuando sobre emoções, não será um homem remando sobre um mar de experiencias religiosas, não será uma folha levada pelos ventos de opiniões e tradições, mas será isso: um homem sóbrio diante da confusão embriagante dos últimos dias, e o resultado dessa sobriedade é que ele será completamente bíblico na sua cosmovisão. (Clavio J. Jacinto)

Peregrino ou Apostata?

Todo o homem que deseja ser realmente obediente a Deus, torna-se solitário como Enoque, se deseja ser espiritualmente vago, torna-se eclético como Saul, se deseja ser religiosamente conveniente segue o caminho do sacerdote de Mica, se deseja ser pragmático, negocia a fé como Judas, se deseja ser egocêntrico e humanista segue o exemplo de Caim, e se deseja ser ecumênico senta-se na mesa de Jezabel. Todavia, o caminho continua sendo estreito, porque em tempos difíceis, torna-se estreito e solitário. (Clavio J. Jacinto)

Separação, Sobriedade e Vigilância.



Um dos problemas mais graves que o cristão pode enfrentar é a falta de discernimento que leva a uma vida descuidada. Há certas advertências bíblicas relacionadas aos cuidados da vida espiritual que não podem deixar de serem observadas. Numa época em que se fala tanto de unidade e ecumenismo, onde o estandarte da tolerância pretende unir o inútil ao agradável, e viver debaixo da ideologia hippie "paz e amor", precisamos observar certos princípios bíblicos básicos. Paulo mesmo advertiu que após a sua partida entrariam no meio da igreja lobos cruéis que não poupariam o rebanho (Atos 20:29) Somos convocados a sermos sóbrios (I Tessalonicenses 5:6 e I Pedro 4:7) isso significa acima de tudo andar segundo as normas das Escrituras e não se desviar delas. devemos tomar cuidado com quem prega doutrinas não bíblicas (I Timóteo 6:3 a 5) a sã doutrina deve ser uma prioridade (I Timóteo 1:3 Tito 2:1 e 7, Galatas 1:8) não devemos crer em todo o espirito, mas testa-lo segundo as normas das Escrituras (I João 4:1 6) todas as coisas devem ser conforme a Palavra de Deus (Filipenses 1:27) Somos advertidos a respeito dos maus obreiros "Guardai-vos dos maus obreiros"(Filipenses 3:2) não devemos ser vagos e supérfluos ao ponto de sermos levados por ventos de doutrinas (Efésios 4:14) aqueles que não permanecem na doutrina de Cristo não são verdadeiros cristãos (II João 1:9 e 10) As Escrituras afirmam claramente "Ao homem herege depois de uma e outra admoestação evita-o"(Tito 3:10) somos chamados a separação, essa é uma doutrina bíblica (II Corintios 6:14 a 18) a batalhar pela fé que uma vez por todas foi dada aos santos(Judas 3). A verdade cristã por isso mesmo é inegociável, os absolutos de Deus nunca podem ser substituído pelo relativismo moral que caracteriza a nossa era. As Escrituras também advertem que haverá um tempo que muitos religiosos professantes não suportarão a sã doutrina (II Timóteo 4:3) porque não suportarão? porque as mentes religiosas que não aceitam o santo evangelho, consideram a mensagem da cruz uma loucura e um escandalo (I Corintios 1;23) assim, muitos falsos pregadores introduzirão encobertamente falsas doutrinas (II Pedro 4:1) e elas serão bem aceita, porque as mensagens e apelações atendem as necessidades egoístas e materialistas do homem. O verdadeiro cristão não compartilha com tais coisas, um homem espiritualmente bíblico deve crer piamente na suficiência das Escrituras e manter-se fiel ao Senhor, pelas diretrizes estabelecidas pela sua santa Palavra. (Clavio J. Jacinto)


Pregadores Comprometidos.





O Dr Martin Lloyd Jones escreveu: “Nenhum homem deveria pregar a menos que sinta que Deus lhe deu uma mensagem” Acho que esse conselho muito atual e também ser muito espiritual. Acho que não deveríamos ocupar-se de tão solene atividade, se não tivermos a convicção de que o Senhor está agindo em nosso coração concernente a isso. Deixem-me dizer algo mais, pois um pregador não pode pregar a palavra a menos que esteja ciente de que está cheio do Espírito Santo. Aqui está algo fundamental, porque é quando um cristão está cheio do Espírito Santo, que vai entender a forma como Ele atua na própria Palavra que Ele mesmo inspirou, gosto das palavras de Pr Jack Hyles, quando afirmou: “Não há nada mais maravilhoso do que pregar o Livro que o Espírito Santo nos deu e enquanto pregamos, Ele fala aos corações daqueles que o ouvem. O Espírito Santo fala do lado de fora através da Sua Palavra e então Ele fala de dentro enquanto confirma Sua Palavra pregada ao ouvinte. Também é uma coisa maravilhosa ler a Sua Palavra enquanto o Espírito Santo a acompanha.”.  Pregar a palavra a tempo e fora do tempo, mesmo em uma época que a maioria não suporta a sã doutrina, é de crucial importância. Muitas vezes  quando não mais há um espaço no centro das religiões, vá para o deserto, como fez João Batista, e ainda que seja em numero  reduzido, os que querem ouvir, mas pregue a verdade bíblica com a autoridade do Espírito Santo. Sei o quanto isso é difícil hoje, porque o cenário não condiz com a realidade de que estejamos vivendo um verdadeiro avivamento e de haja muitos pregadores  cheios do Espírito Santo. Como poderia ser diferente? Olhe para a fé dessa gente, ela é uma fé em si mesmo, em coisas ambíguas, mais pragmática e menos comprometida coma  fidelidade. Nos dias que se igualam a Noé, pregadores bíblicos terão quase o mesmo resultado de Noé. Mas isso não deve ser motivo para desânimos, o deserto é um lugar amplo, é cheio de oportunidades, porque lá encontraremos os que de fato querem ouvir uma mensagem com frescor celestial, pode até ser dura, ser revolucionária, frontal e radical, mas a dureza do martelo da palavra produz efeitos de lapidação, quebra e rompe com a incredulidade e o formalismo religioso,  reduz ao pó todo o monumento feito ao egocentrismo e a exaltação do homem, que deseja a todo o custo ser o centro da redenção, colocando a soberania e o poder  de Deus em segundo plano. Se você deseja ser popular sendo pregador da mensagem da cruz, creio que seus anseios são falsos, porque  só pode pregar a mensagem da cruz quem deseja se possível morrer  todos os dias, pela causa do evangelho. (Clavio Jacinto)

Footer Left Content