quinta-feira, 27 de julho de 2017

Caminho da perfeição


A FÉ DO HOMEM REGENERADO

A fé não uma força que pode estar sob nosso controle, e que pode ser usada para satisfazer a nossa vontade pessoal, na pior das hipóteses, não é uma força espiritual que pode mover as mãos de Deus favoravelmente em prol de nossos desejos. Também não é uma força de ação, um poder que emana de nossa vontade para criar uma realidade como se fossemos pequenos deuses.  Segundo alguns teólogos e defensores carismáticos, a fé é exatamente isso: uma força poderosa, tangível e condutora. Mas isso é um erro, um erro grave, uma distorção de uma doutrina central das escrituras. O justo viverá por fé (Romanos 1:17) e sem fé é impossível agradar a Deus (Hebreus 11:6) A fé não é um pensamento positivo, não é uma força de vontade capaz de tecer a teia do destino humano, nem tampouco é um otimismo capaz de pavimentar o caminho de nossas realizações. A fé  também não é uma força da nossa vontade, capaz de materializar os nossos mais profundos desejos, não é uma palavra de ordem que comanda um “deus” serviçal utilitarista, que está pronto a ouvir as ordens humanas. Tal fé conduz o homem para outro evangelho, pois cria uma falsa divindade.  A fé não é isso. Qualquer pessoa que lhe ensine isso, como se fosse fé, é um falso mestre.  A fé é uma confiança plena na misericórdia e  na soberania de Deus, é confiar no Senhor, numa entrega incondicional aos seus cuidados. Fé é acreditar que “Todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo seu propósito” (Romanos 8:28). Fé é prostrar-se diante de um Deus bondoso, entregar nossas suplicas e petições e dizer “Seja feita a tua vontade assim na terra como no céu”(Mateus 6:10) A definição clara da fé é “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem, porque por elas os antigos alcançaram testemunho. Pela fé entendemos que os mundos foram criados; de maneira que aquilo que se vê não Foi feito do que é aparente”(Hebreus 11:1 a 3) Abraão é nosso pai na fé, porque ele creu contra toda a evidencia, sabendo que a providencia divina era favorável a sua confiança sincera. Isso é fé. Paulo declarou que viver é Cristo e morrer é ganho (Filipenses 1:21) porque ele acreditava piamente que a nossa pátria está nos céus (Filipenses 3:20) Para termos verdadeira fé, precisamos também ter paciência (Apocalipse 13:10) porque muitas vezes o Senhor prova nossa confiança como fez com Abraão. O fim da verdadeira fé não é a aquisição de bens, conquistas pessoais ou de impérios pessoais, mas sim a experiência  da nossa salvação (I Pedro 1:9) Assim entendemos que se o foco da nossa fé são nossos caprichos, desejos e sonhos pessoais, se a fé que temos é para a nossa  satisfação egoísta, se a nossa fé não está centralizada em Cristo e na sua obra suprema e perfeita, nossa fé é vã, é enferma, é uma falsa fé. “E, se Cristo não ressuscitou, logo é vã a nossa pregação e também é vã a vossa fé (I Coríntios 15:14) A fé tem seu auge quando confiamos na obra redentora de Cristo, a fé é a satisfação plena do homem piedoso, que mesmo passando por duras provas, tem a certeza de que Deus está no controle de todas as coisas. A fé é uma confiança na graça divina, o caminho da gratidão que nos conduz ao ato sagrado de agradecer a Deus por tudo o que recebemos dele, sem qualquer mérito da nossa parte. Essa é a fé que uma vez foi dada aos santos (Judas 1:3)


Clavio J. Jacinto

Confusão e Apostasia

Os dias de confusão que vivemos são sinais claros de que são dias difíceis e de grande engano dentro da cristandade. A s Escrituras já determinaram o quanto isso deve ser levado a sério. Tendo em vista que o inferno é real, e pelos cálculos de Cristo, a maioria vai pra lá, mesmo entre aqueles que dizem: “Senhor, Senhor” estarão ouvindo a sentença de Cristo “Nunca vos conheci, apartai-vos de mim” (Mateus 7:21 a 23)  A bíblia nos adverte a tomarmos cuidado, porque surgirão falsos profetas disfarçados de ovelhas (Mateus 7:15) obreiros malignos (Filipenses 3:2) Vãs filosofias (Colossenses 2:8)Falsos apóstolos e obreiros fraudulentos e o próprio satanás se transfigurando em anjo de luz e seus ministros disfarçando em ministros de justiça. (II Coríntios 11: 13 a 15) A simplicidade do evangelho se obscurece no meio de tantos falsos profetas e mestres que ensinam coisas terríveis. Em meio a tudo isso, estão pessoas sinceras, porem sinceridade não isenta ninguém de engano. Multidões sendo levados ao cativeiro da religião sem cruz, do falso evangelho sem salvação, porem acreditam piamente que são cristãs, porque seguem um sistema pseudo cristão. Milhões de almas estão indo para o inferno sendo membros de carteirinha de entidades evangélicas, mas que foram enganadas por uma falso evangelho.  Os tempos estão cheios de gente que aderiu a moda de ser “evangélico” pessoas que não lêem a bíblia, não estudam e muito menos praticam os princípios evangélicos. São levados pelo engano de que participando ou se associando a uma agremiação religiosa, estarão livres da condenação do inferno, porque seus lideres garantem a eles a salvação, pelo simples ato de contribuírem financeiramente para a construção de seus impérios religiosos. Oh que grande tragédia! Quando tanta gente sincera e boa se der conta de que estavam enganados porque foram vitimas de um sistema que os prendeu. Muitos terão seus olhos abertos, quando já não mais podem tomar uma decisão de rejeitar o sistema falso. A grande tragédia da nossa cristandade é ver uma multidão que paga para ouvir um falso evangelho, com o custo final da perda da própria alma.

CLAVIO J. JACINTO

PORQUE DEUS É UMA CERTEZA?

Creio no mundo das idéias como uma realidade dentro de nós. Isso é o reflexo da projeção de uma imagem: Deus.  Se o universo viesse do nada, estaríamos vivendo contradições. Uma vez que o acaso nunca pode gerar ordem definitiva, o nada nunca pode gerar idéias. A projeção de uma idéia é a criação de algo tangível. Um automóvel passa por uma série de projetos que começam sempre com as ideais. Por isso o universo nunca pode ser obra do acaso. Toda a ordem sempre procede de uma ação. O nada será sempre um absoluto definitivo, por isso é impossível que o universo seja obra do acaso voluntario e da manifestação de um nada. É simples assim, nada pode ser mais complexo e improvável que a não ideai possa produzir alguma coisa ordenada e funcional.

CLAVIO J. JACINTO

ELE LEVOU NOSSAS ENFERMIDADES...

Há um registro no Evangelho de Mateus sobre a cura da sogra de Pedro (Mateus 8:14 a 17) após a cura, quando Cristo repreende a enfermidade daquela mulher, lemos no versículo 17: “Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías diz que: Ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e levou as nossas doenças.”. Essa é uma citação direta de Isaías 53:4. Com base nesses textos podemos afirmar que Cristo deve curar todas as enfermidades num cristão? Mesmo que muitos reivindiquem isso, sabemos que as coisas não funcionam assim, a realidade é que mesmo os proponentes desse tipo de interpretação, comum entre os carismáticos, na verdade acabamos descobrindo que as coisas não funcionam dessa maneira. Cito o exemplo do pregador de curas, que seguia essa interpretação, Hobart Freeman, conhecido nos EUA algumas décadas atrás e acabou morrendo por causa de uma doença que era clinicamente tratável. Nesse caso, além dessa teologia não funcionar em sua vida, mostra que precisamos rever esse ensino. É claro que a sogra de Pedro foi curada, e que o texto mesmo aplica Isaías 53. Porém creio que estamos em um estagio de processo, e o nosso corpo debilitado pelo tempo, acaba sendo suscetível as doenças e isso é normal pra todo mundo. Paulo fala em Romanos 8:23 que “Gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo” No contexto dessa passagem (Versículo 22) toda a criação geme. No  versículo 11,  Paulo afirma que o Espírito Santo que ressuscitou a Cristo, vivificará os vossos corpos mortais pelo Espírito que em vós habita”.  Também lemos em Filipenses 3:20 e 21: “Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas.”. Creio que Isaías 53 terá sim, um cumprimento total na vida de todo o homem redimido, quando cada um dos salvos receberem o corpo glorificado, onde a doença não mais poderá atingi-lo, porque a redenção de Cristo cumpriu os requisitos básicos para a formação do corpo glorificado. Porém ainda gememos num corpo mortal, que envelhece e enfraquece e por fim morre. A morte biológica ainda é uma realidade para os santos, mas sabemos que em breve a morte será tragada pela vitória. Tudo dentro do plano salvífico está em ordem, porque Deus sabe fazer as coisas da maneira  perfeita, resta-nos apenas crer e confiar em Cristo.

CLAVIO J. JACINTO

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Frutos e Vida Cristã

A frutificação espiritual deve ser a condição normal de um homem regenerado, ela ocorre através de uma vida intima com Cristo (João 15 1 a 11) Paulo enumera esses frutos (Gálatas 5:22 e 24) eles são as provas definitiva da nossa espiritualidade. Nunca se engane, a legitima vida espiritual não provada de outra forma.  O fruto do Espírito é uma ação do Espírito Santo trabalhando no espírito do homem. Não é um resultado de nossos esforços, mas sim de uma entrega. A união com Cristo significa uma entrada para dentro de seus ensinos, só quem guarda as palavras de Cristo, pode viver a vida espiritual em plenitude. Israel, na antiga aliança foi categoricamente rejeitado pelo Senhor, porque não deram frutos (Isaías 5:1 a 7) muitos cristão também serão rejeitados “E também agora está posto o machado a raiz das arvores, toda a arvore pois que não produz bom fruto, é cortada e lançada no fogo”(Mateus 3:10)

Clavio J. Jacinto

A Mensagem da Cruz e a Pregação

A mensagem da cruz é loucura para o homem caído, que tem seu entendimento obscurecido, por isso, a ação do Espirito Santo é iluminar o coração do perdido para que a luz do evangelho resplandeça e ele entenda o sacrifício redentor de Cristo pela preciosa graça de Deus. Isso não é obra humana. Jamais podemos convencer alguém por nossa própria vontade. A nossa missão é pregar, proclamar a mensagem do evangelho, o Espirito Santo usa a nossa pregação como ferramenta para trabalhar no coração alheio. É através de um trabalhar no Consolador na vida e no coração dos ouvintes, que os verdadeiros frutos da conversão e da regeneração irão aparecer, não menos que isso. Hoje o humanismo tenta usurpar o centro do evangelho que é Cristo. Pregadores usam da artimanha falaciosa de que se os pecadores ouvirem uma mensagem que satisfaça seu egoísmo, ele será atraído para a mensagem da cruz, a verdade é que El está sendo ensinado e conduzido a ficar longe dela.. O centro do evangelho é Cristo, a mensagem do evangelho não pode sofrer diluição nem mesmo pode ser adulterada por causa do pragmatismo ou por causa do humanismo. O evangelho não pode ser proclamado com entretenimento, porque a mensagem da cruz nunca nos convida para a vida de diversão. O evangelho é uma mensagem séria que precisa ser proclamada com temor.

Clavio J. Jacinto

Footer Left Content